Projeto Caravelas

“O rio, quando esquece onde nasce, seca e morre.”Projeto Caravelas
(Provérbio Africano – Baixe aqui)

O Projeto Caravelas é uma iniciativa, coordenada por Gilson Santos, com foco em Genealogia e História Familiar. A seguir, alguns poucos textos, os quais constam de um acervo mais amplo. Para contatos, clique aqui.

PANORÂMICA HISTÓRICA

orange-botton [PDF] Família Santos: Síntese Genealógica (38 páginas) – Quadros com a mais recente atualização da síntese genealógica familiar.

orange-botton Azeredos e Coutinhos, “Grinaldas” e Maldonados – O texto percorre a trajetória histórica de uma linhagem familiar, desde os primórdios da colonização brasileira até o auge da cafeicultura do Vale do Paraíba, e especificamente no Centro-Norte fluminense, no século dezenove.

orange-botton [PDF] Uma Linhagem Terceirense de Cristãos-Novos; Um Trajeto Histórico-Genealógico (65 páginas) – Em cinco capítulos, a trajetória histórico-genealógica de uma família, por meio de uma específica linhagem selecionada em dez gerações, constitui-se em um caso bastante ilustrativo, e até emblemático, do percurso de cristãos-novos nos domínios do Império Português, incluindo as suas ex-colônias.

orange-botton “E agora, José?” – Um recorte histórico, em forma de crônica familiar, no qual o autor percorre uma sucessão “joseense” em sua ancestralidade patronímica.

orange-botton [PDF] O Apelido Feminino “Grinalda” (9 páginas) – Ao traçar um percurso histórico e geográfico, intencionalmente selecionado, do apelido feminino Grinalda, o autor percorre o trajeto brasileiro da história de sua família, concluindo no município onde nasceu.

RIO DE JANEIRO NO SÉCULO XVI

orange-botton Fundação da cidade do Rio de Janeiro: Belchior de Azeredo“O fidalgo Belchior de Azeredo teve uma participação muito importante nas origens da Capitania do Espírito Santo, e também no consórcio com Mem de Sá e seu sobrinho, Estácio de Sá, nas origens da cidade do Rio de Janeiro”.

orange-botton A Cidade do Rio de Janeiro no Século XVI – O texto traz uma síntese sobre a cidade do Rio de Janeiro, desde a sua fundação até a virada para o século dezessete. A parte final do texto apresenta cinco dos seus primeiros povoadores, com alguns poucos dados familiares.

REGIÃO AÇUCAREIRA NO LESTE DA BAÍA DE GUANABARA

orange-botton O Engenho dos Pachecos – Frei Agostinho de Santa Maria (1723) – “… ainda hoje se chama o Engenho dos Pachecos. Este tal Fulano Pacheco fundou também a nossa Senhora uma Casa, onde colocou uma Imagem sua, a quem deu o título de Nossa Senhora do Desterro, e este tal homem, chamado Pacheco, festejava a Senhora todos os anos.”

ENTRE MONDIM DE BASTO E AMARANTE

orange-botton Entre duas velhas pontes da Região Maronesa – Texto no qual se situa a região de origem da Família Santos na margem esquerda do rio Tâmega, entre os concelhos de Mondim de Basto e Amarante.

orange-botton A Porta de Entrada do Marão“Ao lado ocidental do Marão, o núcleo de Aboadela era a porta de entrada, constituindo-se no principal ponto de acolhimento, apoio e informação para quem chegava àquela paisagem de montanha.”

orange-botton Aboadela e a Antiga Via do Marão“Na Serra do Marão, a principal via utilizada para a transposição tinha um traçado entre Amarante e Vila Real, e o troço entre Aboadela e a Veiga da Campeã era ‘a parte mais acidentada do percurso’, tendo a via de vencer um desnível de cerca de oitocentos metros”.

orange-botton [PDF] João Gonçalves dos Santos (1815-1891); Testemunha em Processo de Inquirição de Genere (3 páginas) – Os testemunhos foram colhidos em Aboadela, em 8 de agosto de 1859.

REGIÃO CAFEEIRA NO CENTRO-NORTE FLUMINENSE

orange-botton [PDF] A Família Clemente Pinto; Um Trajeto Histórico-Genealógico (22 páginas) – Trajeto Histórico-Genealógico da família Clemente Pinto, que, especialmente por meio do Barão de Nova Friburgo e seus descendentes, teve participação marcante em mais de um século na história do Brasil.

orange-botton De Aboadela para o Centro-Norte Fluminense“Tornou-se dinâmico o fluxo de notícias, informações, pessoas e familiares entre Aboadela e a região Centro-Norte Fluminense, onde estavam as principais fazendas da Família Clemente Pinto, em especial do Barão de Nova Friburgo e de seus descendentes.”

orange-botton [PDF] A Família Açoriana Coelho da Rocha; Um Trajeto Histórico-Genealógico (18 páginas) – Trajeto Histórico-Genealógico de uma família. Tem início na Ilha Terceira, nos Açores, particularmente nas freguesias de Vila Nova e Altares. O relato conclui-se na antiga freguesia de São José de Leonissa (atual Itaocara, Rio de Janeiro), e especificamente no distrito de Portela, o terceiro do município.

orange-botton Derrubada de uma Floresta – Johann Moritz Rugendas

orange-botton Rio Paraíba do Sul – Johann Moritz Rugendas

SÃO FIDÉLIS E REGIÃO

orange-botton Memórias de um aluno interiorano“As duas famílias referidas suscitaram uma descendência numerosa. Estas, assim como as outras famílias da região, defrontaram-se com um desafio: Como suplementar a formação educacional de seus filhos?”

CAMPOS DOS GOYTACAZES

orange-botton [PDF] A Família Açoriana Rocha Borba; Um Trajeto Histórico-Genealógico (23 páginas) – Trajeto Histórico-Genealógico de uma família. Tem início na Ilha Terceira, nos Açores, particularmente na freguesia de Doze Ribeiras, e conclui com Jurandir Gonçalves Rocha (1939-1982), pastor batista fluminense.

LINKS

orange-botton Família Santos: Genealogia – Ambiente genealógico administrado por Gilson Santos. A árvore genealógica da família é apresentada. O site admite inscrição de novos membros, e você pode contribuir incluindo dados familiares, inclusive vinculando a sua árvore.

orange-botton Ramo dos Pachecos de Itaboraí – Ambiente genealógico administrado pelo Prof. Deivid Antunes da Silva Pacheco, remanescente da família Pacheco Resende em Itaboraí, RJ. O prof. Deivid preside atualmente o Instituto Histório e Geográfico Itaborahyense (IHGI), e atua junto à Secretaria Municipal de Cultura e Turismo.

orange-botton  Para Além do Horizonte Azul; Minhas Mémorias – Coleção das memórias pessoais – “minhas histórias” – da Prof. Míriam de Oliveira Santos. Relatos simples, leves e agradáveis, sem datas e sem cronologia rígida.

RELATOS DIVERSOS

orange-botton Quatro caminhos que aprendi com meu pai “Apesar de suas lutas, meu pai me ensinou quatro caminhos. Estes têm sido os quatro caminhos mais importantes da minha vida.”

orange-botton Há um ano, vi você partir… – Nadir Santos “Com sofrimento e dor, que jamais podia imaginar sentir em minha vida outra vez, após a morte de meu pai, vi você sendo entregue à terra…”

 OUTROS

orange-botton Lar: Centro de Significado e Fundamento da Identidade“A associação entre a existência e a identidade pessoal está amarrada ao senso de lugar e à sua constituição.”

orange-botton Da lima-da-Pérsia ao “Meu pé de Laranja Lima”“Limas, livros e boas amizades. Num tempo de reveses, é sempre bom ter algo que torne a vida mais doce.”

orange-botton “Criança”, leia!“Não se tira um livro da mão de uma criança. Se for necessário, negocia-se uma troca, uma substituição.”

orange-botton As “piadas de sogra” estão perdendo a graça para mim – Gilson Santos

ARTE

orange-botton Escolares de Albert Anker“Tendo se dedicado a retratar o cotidiano rural e aldeão do século XIX, Anker tem sido chamado de ‘pintor nacional da Suíça’.”

orange-botton Um Amanhecer sem Esperança – Frank Bramley

orange-botton Titus van Rijn – Rembrandt

orange-botton Eugène Manet e Julie – Berthe Morisot

orange-botton Mãe e Filho Junto ao Mar – Jozef Israëls

orange-botton Timóteo e Sua Avó – Rembrandt

orange-botton “Cena do Massacre dos Inocentes” – Léon Cogniet

orange-botton O Julgamento do Rei Salomão

POESIA

orange-botton Flor do Ermo – Gilson Santos

orange-botton Infância – Carlos Drummond de Andrade

orange-botton Até o Fim da Vida – Autor Desconhecido

CITAÇÕES

orange-botton Quando se vai um filho criado na graça – Charles R. Swindoll

orange-botton Filhos na Era do “Amor Líquido” – Zygmunt Bauman

orange-botton Filhos: Sonoro Recado de Deus

orange-botton Não fui apenas uma vítima – Gilson Santos

orange-botton A Emergência do Senso de Identidade na Primeira Infância – Papalia, Olds & Feldman