Skip to content
Anúncios

A Filha de Sião – Jean-François Portaels

The Daughter of Zion Reviled, ca. 1847-1881, Jean-François Portaels

The Daughter of Zion Reviled, ca. 1847-1881, Jean-François Portaels (Belgian orientalist painter, 1818-1895), Oil on canvas, 145 x 214 cm, Royal Museum of Fine Arts, Brussels, Belgium

Esta é uma pintura de um ilustre pintor belga, cujas obras, quase que invariavelmente, retratam assuntos dos países do Oriente. Nos livros de vários profetas de Israel há passagens em que a Jerusalém de seu tempo é representada sob a semelhança de uma mulher ferida, indigente, e da qual “se foi toda a sua formosura”. Eles a chamam de “Filha de Sião” ou “Filha de Jerusalém”.

Sim, ouço um grito como o de uma parturiente, aflição como a da que dá à luz pela primeira vez; é o grito da filha de Sião, que geme, e que estende as mãos: “Ai de mim, que desfaleço diante dos assassinos!”

(Citação bíblica: Jeremias 4.31, tradução de A Bíblia de Jerusalém)

No livro das Lamentações de Jeremias, o profeta lamenta acerca da Filha de Sião exilada pelos exércitos estrangeiros.

A filha de Sião perdeu
toda a sua formosura;
seus príncipes, como cervos
que não acham pasto;
caminhavam desfalecidos
diante de quem os empurrava.

O Senhor se comportou como inimigo,
destruindo Israel:
destruiu todos os seus palácios,
arrasou suas fortalezas
e, para a filha de Judá, multiplicou
a lamentação e o lamento.

A quem te comparar? Quem se te assemelha,
filha de Jerusalém?
Quem te poderá salvar e consolar-te,
virgem, filha de Sião?
Grande como o mar é teu desastre:
quem te curará?

Todos os que vão pelo caminho
batem suas mãos ao ver-te,
assobiam e meneiam a cabeça
contra a filha de Jerusalém:
“É esta a cidade chamada a mais bela,
a alegria de toda a terra?”

(Citação bíblica: Lamentações de Jeremias 1.6, 2.5,13 e 15, tradução de A Bíblia de Jerusalém)

The Daughter of Zion Reviled, Jean-François Portaels, drawing

The Daughter of Zion Reviled, Jean-François Portaels, drawing

A última estrofe da passagem acima forneceu a Portaels o tema de sua tela. Entretanto, o aspecto geral da imagem parece ter pouca referência com o tempo em que Jeremias lamentou sobre a condição da outrora gloriosa cidade. A Jerusalém retratada é a do tempo presente; os zombadores que passam são orientais ricamente vestidos em estilo mais contemporâneo; a mulher atrás que carrega uma criança sobre os ombros e a criança zombeteira parecem desconectados do grupo principal. O único elemento de relação com o período indicado pela lamentação é a mulher desfalecente, desconsolada e descalça à beira do caminho, com suas vestes escuras e com o aspecto melancólico de alguém que foi abandonado e esquecido. Não obstante os intencionais anacronismos de tempo e lugar, trata-se de uma obra de arte muito especial e com o seu tema poeticamente retratado.

Anúncios