Pular para o conteúdo

As Questões da Filosofia – David Papineau

Qual é exatamente o assunto de que trata a filosofia? O que é que faz de algo uma questão filosófica em vez de uma questão científica ou política? É duvidoso se existe algum assunto que é específico da filosofia. Em vez disso, a filosofia é necessária sempre que enfrentamos questões que não são apenas importantes mas também intelectualmente desconcertantes. É esta última exigência que distingue a filosofia. Há muitas grandes questões por resolver na ciência: Existe vida noutros locais do universo? Quantas forças fundamentais existem? Contudo, estas questões não têm resposta apenas porque ainda não conseguimos acumular provas empíricas suficientes para chegar a uma conclusão. As questões filosóficas levantam um tipo de dificuldade diferente. Quando questionamos se os seres humanos têm livre-arbítrio, ou se os animais têm direitos, a nossa dificuldade não se deve apenas à falta de informação. As próprias questões são confusas. Para fazermos progressos precisamos de analisar os próprios termos — “livre-arbítrio”, “direitos morais” — que são  usados para colocar as questões. (…)

Quando começamos a investigar os termos em que as questões do dia-a-dia são colocadas, vemo-nos rapidamente forçados a pensar acerca das categorias que usamos para dar sentido ao mundo.

(David Papineau, Professor de Filosofia da Ciência na Universidade de Londres. In: Philosophy; The Illustrated Guide to Understanding and Using Philosophy Today. London: Duncan Baird, 2004, 224 p. Trad. João D. Fonseca)

Philosopher in Meditation, 1632, Rembrandt van Rijn

Philosopher in Meditation, 1632, Rembrandt van Rijn (Dutch Baroque Era Painter and Engraver, 1606-1669), Oil on wood, 11 x 13 1/2″ (28 x 34 cm), Musée du Louvre, Paris