Skip to content
Anúncios

A Tríplice Abordagem da Poimênica Puritana para as Depressões

DETAIL: Portrait of Timothy Rogers (1658–1728), English nonconformist minister, by Robert Williams after Robert Byng, late 17th century, , mezzotint, 23,7 x 182 cm (9 3/8 in. x 7 1/8 in.), National Portrait Gallery, London, UK.Os Puritanos eram chamados de “médicos da alma”. Receberam este apelido pois os ministros puritanos eram especialistas em discernir as diferentes situações e experiências da alma. A poimênica puritana, situada em uma pastoral clássica, desde fins do século dezesseis até o século dezenove, reconhecia três contextos para as causas das “depressões”. Tais causas se agrupavam em: 1) Circunstanciais; 2) Constitucionais, com destaque para a chamada “doença da Melancolia”; e, 3) Espirituais. Em termos gerais, esta era a tríplice abordagem puritana até aos dias de Charles H. Spurgeon (1834–1892).

Os puritanos trabalharam amplamente com o conceito hipocrático-galênico de Melancolia. Pregaram e escreveram amplamente sobre ela. A obra puritana padrão para a Melancolia foi escrita pelo pastor Timothy Rogers (1658–1728), “Trouble of Mind and the Disease of Melancholy” (Aflições da Mente e a Doença da Melancolia). Esta obra, publicada em 1691, tornou-se referência para os puritanos; homens como Jonathan Edwards, Charles Spurgeon e os teólogos de Princeton a citaram amplamente, quer no púlpito, na cátedra ou nos livros. Mesmo no século vinte, D. Martyn Lloyd-Jones (1899–1981), herdeiro da teologia e pastoral puritana, e médico de formação, replicou conceitos de Rogers, quando pregou e escreveu sobre o terceiro contexto de causalidade: Depressão Espiritual.

Para leituras e pesquisas introdutórias sobre este assunto, recomendamos a seguinte literatura:

1. Zack Eswine. A Depressão de Spurgeon. Editora Fiel. Obra em português com prefácio escrito por Gilson Santos.

2. David Murray. Crente Também tem Depressão. Editora os Puritanos.

3. D. M. Lloyd-Jones. Depressão Espiritual. Editora PES.

4. Richard Baxter. The Cure of Melancholy and Overmuch Sorrow, by Faith. Legacy Publications. Publicado em português por Edições Vida Nova sob o título “Superando a Tristeza e a Depressão com a Fé”.  Baxter legou grande contribuição à poimênica cristã, e atuou também como um “médico leigo”.

5. Timothy Rogers. Trouble of Mind and the Disease of Melancholy. Editado por Dr. Don Kistler. Soli Deo Gloria Publications.

6. Peter Lewis. The Genius of Puritanism. Apresentado por D. M. Lloyd-Jones. Soli Deo Gloria Publications. Dedique atenção à terceira parte do livro, que cobre a maior parte do conteúdo: “The Puritan in Private”.

7. Archibald Alexander. Thoughts on Religious Experience. The Banner of Truth. O capítulo IV trata da questão da melancolia, inclusive recorrendo à obra de Timothy Rogers.

8. Jeremy Schmidt. Melancholy and the Care of the Soul. Série The History of Medicine in Context. Ashgate. Obra secular, em história da Medicina, que dedica farta pesquisa ao material puritano, inclusive às duas abordagens para a melancolia que se tornaram padrão.

9. Robert Burton. A Anatomia da Melancolia. Obra clássica em diversos volumes. Precedida do Tratado da melancolia (1586) de Timothy Bright, a obra de Burton foi publicada em 1621. Traduzida para o português, em quatro tomos, pela Universidade Federal do Paraná. O volume traduzido por Guilherme Gontijo Flores foi laureado com o Prêmio Jabuti 2014 – 1º lugar categoria tradução. Editora UFPR.

Para retrato de Timothy Rogers na National Portrait Gallery, clique aqui.

Anúncios