Skip to content
Anúncios

“Ética na Internet: Off Line”

Theological discussion, 1863, Edouard Moyse

Theological discussion, 1863, Edouard Moyse (French Academic Painter Engraver and Illustrator, 1827-1908), oil on canvas, 92 x 73.5 cm. (35 x 28 in.), Modern Art Gallery, Tel Aviv, Israel

Uma das questões mais urgentes e importantes que o escritor de blogs e texto na internet precisa atentar é a ética. Infelizmente, sua importância tem sido enormemente negligenciada em muitos meios onde se publica textos teológicos. O comportamento antiético na internet é espantoso. Atrás do anonimato ou mesmo de uma projeção falsa de imagem que a internet favorece, discussões sem sentido acontecem, troca de ofensas, uso indevido de material protegido por direitos autorais, enfim, é preciso resgatar o procedimento ético também na “persona” virtual.

Outro cuidado que é preciso ter com o uso da internet e, particularmente do blog, para discussão teológica é com o acesso. Não se sabe quem está lendo os textos ou acompanhando as discussões em torno de determinado tema. Muitas vezes, um assunto complexo gera polêmicas e debates acirrados e isso fica exposto diante pessoas que não têm compromisso com a fé cristã, ou aos inimigos da fé ou, ainda pior, aos olhos de pequeninos na fé ou neófitos – o Senhor Jesus Cristo faz um severo alerta contra aqueles que fazem tropeçar um de seus pequeninos (Mc 9.42). Na cristandade primitiva, havia uma prática chamada disciplina arcani, que era o costume de manter o conhecimento de doutrinas mais difíceis da fé cristã e o debate acerca delas, distante dos não cristãos e até mesmo dos novos na fé, com o propósito de preservar-lhes de escândalos e não confundir-lhes a mente.

Ainda é válido estabelecer a diferença entre “jornalismo teológico” e “formação teológica”. O fato de um determinado tema doutrinário ser publicado em uma página de internet não torna seu autor uma autoridade no assunto. É alarmante o uso da internet por blogueiros que lidam com temas teológicos complexos com uma redação jornalística, mas sem expertise e domínio da matéria. O que se vê em muitos casos é o tratamento de assuntos difíceis e densos de modo superficial – pois a internet, e, por conseguinte, os blogs, exigem linguagem breve, dinâmica e vocabulário simplificado – mas isso normalmente resulta em lacunas e simplificações que podem confundir o leitor e não lhe oferecer a amplitude necessária para produzir suas próprias conclusões com base nas Escrituras e na teologia histórica.

(SANTOS FILHO, Tiago José dos. “Os Blogs e a Produção Teológica”. In: NASCIMENTO, Valmir [Org.]. Blogs Evangélicos; O Impacto da Mensagem Cristã na Internet. 1a. Edição. Visão Cristocêntrica: Campina Grande [PB], 2013, pp. 68-70)

Anúncios