Skip to content
Anúncios

Inundação da Várzea do Carmo – Benedito Calixto

Inundação da Várzea do Carmo, 1892, Benedito Calixto

Inundação da Várzea do Carmo, 1892, Benedito Calixto (Pintor Brasileiro, 1853-1927), 125 x 400 cm (49.21 × 157.48 in), Museu Paulista/USP (“Museu do Ipiranga”), São Paulo, Brasil

Dirigindo em São Paulo debaixo de um grande temporal, e tendo que encontrar vias alternativas por causa dos alagamentos, me lembrei da tela acima.

No final do século dezenove e início do século vinte, Benedito Calixto (1853-1927) foi um dos poucos pintores que se dedicaram a estudos de reconstituição da São Paulo antiga, usando para isso trabalhos anteriores de artistas viajantes. Porém, neste caso, a imagem é fruto de observação direta, em 1892, quando a várzea do Carmo, na capital paulista, sofreu uma enchente. A obra, que merece destaque no “Museu do Ipiranga”, tem tamanho e escopo excepcionais, sendo considerada uma das peças mais importantes da iconografia paulistana no final do século dezenove.

Detalhe: Inundação da Várzea do Carmo, 1892, Benedito Calixto

Em Inundação da Várzea do Carmo observamos…

A presença fluvial em uma paisagem urbana com dimensões de pintura histórica. O artista descreve minuciosamente a época de cheia da Várzea do Carmo, indicando o cotidiano do rio na cidade de São Paulo. O formato panorâmico evidencia a amplitude da cidade, demonstrando detalhes de seu horizonte urbano e paisagístico (…). Calixto faz com que o rio, um motivo cotidiano, frequentemente representado em pequenos suportes, aqui adquira a importância de personagem histórico do diálogo com a cidade. (OLIVEIRA, Helder Manuel Silva. In: Castagneto e o contexto artístico paulista do século XIX. Cf. aqui).

Detalhe: Inundação da Várzea do Carmo, 1892, Benedito Calixto

Recomendo acessar também o livro Pintores paisagistas: São Paulo, 1890 a 1920, por Ruth Sprung Tarasantchi, formato e-book.

Anúncios